VISITANTE Nº

27 de julho de 2010

Meu Reino não é deste Mundo



• Falaremos daqueles dias difíceis em que Jesus, preso injustamente...
• Submetido ao julgamento...
• Naquele momento estava em disputa uma coisa que para os judeus era muito importante...
• Eles tinham enraizado em suas tradições, a profecia da vinda do messias...
• O messias representaria alguém, que iria libertá-los do julgo romano...
• Seria o rei deles...
• Seria aquele que tomaria as rédeas do governo, que tomaria em armas se fosse preciso, e que enfim proclamasse a independência dos judeus do império romano...
• E foi a esse pretexto que os judeus perseguiram Jesus, porque ele se apresentava como o messias...
• Ele era aceito pela grande parcela do povo como o messias prometido...
• Só que ele era um messias diferente do que eles esperavam...
• Era um messias pacífico...
• Um messias que mandava dar a outra face se fosse agredido em rua...
• Era um messias que determinava submissão ao império romano quando dizia: Daí a César o que é de César...
• Era um messias manso, um messias pacífico...
• E, portanto os políticos, aqueles que estavam vinculados a administração e a ideologia judia, não podiam aceitá-lo como messias...
• Só que ele crescia a cada dia, a cada dia aumentava a multidão que o acompanhava pela palestina ouvindo as suas pregações...
• Ele havia feito coisas milagrosas que assustavam até os mais céticos...
• Imagine fazer um cego ver, um paralítico andar, e aos olhos daquele povo até verem um defunto levantar...
• Imaginem como os políticos se preocupavam com ele...
• Esse homem poderia realmente ser aceito como o messias e frustrar as expectativas deles...
• Porque ele não pegará em armas para libertar os Judeus do império romano...
• E, por isso, eles tramaram a prisão de Jesus...
• Tramaram em surdina, às escondidas...
• O império romano não estava nem aí pra Jesus...
• Eles eram indiferentes...
• Quantos já haviam surgido, muitos movimentos já haviam sido sufocados pelos romanos...
• Jesus era apenas mais um para os romanos, ele não tinha nenhuma importância...
• Mas para os judeus ele era importante...
• E como nós vimos, ele foi preso e estava sendo interrogado...
• Pilatos sabia da sua autoridade, desejoso de manter o seu domínio, de manter a sua força, queria ter certeza daquilo que estava fazendo...
• E nos consta o Evangelho que em determinado momento, depois de muitas idas e vindas, voltou ao local onde Jesus estava sendo interrogado e perguntou:
• Você é o Rei dos Judeus?
• Ele disse: Se eu fosse rei os meus ministros certamente impediriam que eu fosse entregue aos Judeus.
• Mas o Meu reino não é deste mundo.
• E Pilatos insistiu: se não é deste mundo, então você é rei!
• E Jesus enfatizou você está dizendo que eu sou rei.
• Pilatos aceitou isso como verdade, tanto que por ironia ou por acreditar ele colocou na cruz: rei dos Judeus.
• Dizem que na verdade ele quis humilhar os Judeus: Olha o seu rei está crucificado...
• Mas ele aceitou isso como verdade...
• Se ele era rei e ele dizia que meu reino não é deste mundo, o que ele quis dizer com isso afinal?
• Naquele tempo nem mesmo os apóstolos iriam entender...
• Aliás, eles não entenderam como Jesus foi preso...
• Eles também imaginavam que Jesus não se deixaria prender...
• Afinal quem havia feito tantas maravilhas, uma a mais, uma a menos, não seria nada difícil...
• Por que não escapar? Por que não sumir? Por que não fugir?
• Eles acreditavam que ele poderia se libertar...
• Como ele vai se deixar matar?
• Eles estavam assustados, fugiram...
• Dizem até que Judas, o apóstolo que o “traiu”, na realidade era o mais crente disto...
• Ele achava que Jesus ao ser preso se revoltaria...
• Quando ele percebeu que Jesus não reagiu, foi a sua grande frustração, seu grande arrependimento, ele teria se matado por isso...
• Ele não queria vender Jesus, ele acreditava piamente que Jesus não se deixaria prender...
• Mas Jesus enfatizou: Meu reino não é deste mundo.
• Desde aqueles tempos o Cristianismo tem tentado explicar isso...
• Criou muitas fantasias, criou o céu maravilhoso; mas igual a terra; só que maravilhoso, onde não há morte, onde não há tristeza, a fome não existe, cidades de ouro, calçadas de ouro, que maravilha de céu!
• Todo mundo orando o dia inteiro, rezando o dia inteiro, cantando louvores a Deus...isso é o céu que eles mostraram pra gente...
• Percebam a idéia...
• Eles tinham um pensamento totalmente material...
• Isso estava arraigado, por que os princípios que eles aprenderam desde todos os tempos não falavam de espiritualidade...
• Não falavam se quer de céu, naquele tempo não tinha esse conceito ainda...
• Ninguém acreditava ou sabia da vida futura...
• “ninguém”, o povo não sabia da existência da vida futura...
• Eles conheciam os anjos, mas não imaginavam que os anjos eram espíritos como nós que atingiram um gral de perfeição que os colocavam assim...
• Por isso eles colocavam o céu com as coisas que eles desejavam ter na terra...
• E eles imaginavam que Jesus fosse implantar um reino assim, material, mas maravilhoso...
• O espiritismo no tempo oportuno veio nos esclarecer, que Jesus é rei sim...
• Aliais se a terra fosse o centro do universo como se acreditava... se a Terra fosse tudo ... Jesus seria Deus, que é a crença de católicos e protestantes, nos não acreditamos nisso...
• O espiritismo nos ensina que Jesus não é Deus, mas ele é o governador da Terra, ele é o espírito de máxima hierarquia no âmbito da terra.
• E quando nós estamos falando de terra, nós não estamos falando só dos seres encarnados, só das coisas materiais, mas dos espíritos que habitam a terra...
• E que nós os encarnados, somos uma parcela pequenina, que estamos aqui para aprender para crescer, mas o nosso ambiente a nossa vida verdadeira esta no plano espiritual...
• É lá que Jesus constrói o seu reino de glória, desde os tempos primordiais, desde quando ele aqui chegou, segundo Emmanuel há 5 bilhões de anos atrás, com a tarefa de construir a Terra em todos os seus aspectos, inclusive o ser humano que nela habita, suas falanges...
• Espíritos que nós chamamos de anjos são espíritos iluminados que vivem num mundo feliz, que vivem num mundo perfeito, todos aqueles que já alcançaram a sublimação, todos aqueles que já superaram as insignificâncias humanas, as imperfeições humanas, todos aqueles que já são felizes intimamente, todos fazem parte do reino de Jesus...
• Ele já existe sim, e Jesus é o rei...
• Também nos fazemos parte deste reino, nós somos sim membros dessa comunidade, membros retardatários que ainda estamos caminhando lentamente, em busca do aperfeiçoamento...
• Como ele mesmo disse na cruz: pai eles não sabem o que fazem...
• Quantas vezes Jesus enfatizou a pouca importância que nós deveríamos dar as coisas materiais, por que nos buscávamos isso
• Quem procurava Jesus não o procurava em busca de salvação da alma, quem o procurava eram os doentes, os aleijados, os cegos, os leprosos, os escravos...
• E os poucos idealistas que foram chamados por ele, os apóstolos, que tinham lá seus afazeres eram todos trabalhadores, pescadores...
• E ele os impressionava, chamava pelo nome, Pedro siga-me, Tiago venha comigo, e era difícil resistir...
• E certamente eram espíritos que já haviam reencarnado para essa missão, por que Jesus também não veio de uma forma bruta inesperadamente, mas ele veio depois de uma preparação intensa, segundo alguns espíritos, Jesus se preparou por mais de 2000 anos...
• E preparou a humanidade por todo esse tempo para que ele pudesse vir e cumprir a sua tarefa senão ele não conseguiria...
• O terreno não estava preparado, e essa preparação incluiu espíritos que deveriam reencarnar para dar sustentação, e Tb para dar continuidade depois que ele retornasse a espiritualidade...
• O que é que você faz para ser considerado realmente um cidadão do reino em que Jesus é rei?
• Para ser cidadão desse reino em que Jesus é rei é preciso ser manso, é preciso ser pacífico, é preciso ser misericordioso, estão lá no sermão da montanha, todos os quesitos ou requisitos necessários para que nós possamos realmente fazer parte desse reino, embora Jesus tenha dito que não é desse mundo...
• Quando nós incorporarmos esses valores em nós, quando a maioria da humanidade tiver conquistado os valores inerentes ao reino de Jesus, nos transformaremos também a terra nesse mundo maravilhoso...
• Todos os dias nos vemos as grandes tragédias humanas, não apenas no Brasil mas no mundo inteiro, são os crimes violentos, são os crimes bárbaros que nos assola, o medo que bate a porta de todos nós,
• Basta darmos uma passada de olhos na nossa história e nós veremos que nós criamos isso...
• Hoje nos parece injusto: eu não mereço isso, mas a sociedade como um todo, egoisticamente criou isso...
• Não adianta dizer eu não tenho nada com isso...
• Não tem agora, mas nós somos espíritos eternos que caminhamos nessa eternidade, dando nossa contribuição, e se nos vivemos no meio em que vivemos e porque aqui é o nosso lugar...
• É o nosso lugar por que nós que cultivamos, nós que plantamos, fomos nós que fizemos que ele fosse assim...
• Ainda é tempo, aliás, sempre é tempo...
• Ao contrário do que, nós imaginávamos de que haveria um momento final, um término, um momento fatal em que nós, não teríamos nenhuma chance, o espiritismo vem nos esclarecer que, a qualquer tempo nos podemos reconstituir a nossa vida...
• Mas é tempo de analisarmos a nossa conduta...
• Analisarmos se nos já podemos nos enquadrar entre os Bem-aventurados... Era desse reino que Jesus falava e que ele estava construindo não naquele momento, mas que já vinha construindo ao longo dos milênios...
• Por que essa é apenas uma pequena parcela de preparação desse reino maravilhoso, que Jesus veio preparar pra nós...
• Pensamos: eu estou muito longe disso,...
• E claro que Jesus não esperava que nós instantaneamente nos tornássemos aqueles espíritos felizes, capazes de estar no auge do seu reino...
• Mas ele esperava sim, e se empenhou até a morte na cruz, ao longo da historia milhões de espíritos se empenharam, para que passo a passo pudéssemos construir o nosso caráter, de forma a nos tornarmos cidadão do reino de Jesus, através do nosso trabalho, do nosso esforço, e certamente, se Jesus voltasse poderia dizer meu reino é sim também desse mundo.

Baseado em palestra de Orlando Costa.

Nenhum comentário: